Legendas no Lion com o Subtitle Master

Encontrar uma legenda que sirva para seus arquivos de vídeo nem sempre é uma tarefa fácil. É muito comum encontrar legendas fora de sincronia, com falas faltando e traduções ruins. Pensando em aliviar este sofrimento, o Subtitle Master foi desenvolvido.

Subtitle Master

Atualmente o aplicativo está na versão beta e disponível somente para usuários do Mac OS X Lion. Segundo o desenvolvedor, para expandir o suporte para o Snow Leopard seria necessário reescrever diversas partes do programa que atualmente utilizam API’s nativas do Lion.

Para utiliza-lo, basta arrastar um arquivo de vídeo ou pasta para o aplicativo, que imediatamente procura por uma legenda no OpenSubtitles e SubDB. Se encontrada, a mesma é colocada na pasta do vídeo já com o nome correto e pronta para assistir. Quando algo dá errado e a legenda encontrada não serve para o seu arquivo, o Subtitle Master ainda fornece um meio simples de procurar por alternativas e testa-las.

O Subtitle Master pode ainda fazer o upload das legendas que você já possui para o SubDB (base de dados principal), tornando o processo de busca ainda mais rápido e confiável.

Bases de dados

Open Subtitles: É uma das maiores base de dados de legendas existentes atualmente, com suporte a diversos idiomas. A busca no site é confusa, devido a grande quantidade de informações e propagandas. Você pode procurar legendas pelo nome ou hash, no próprio site ou utilizando os diversos clientes disponíveis.

SubDB: É uma base de dados de legendas, centralizada e gratuita. Utiliza um modelo colaborativo, onde usuários enviam legendas e estas ficam disponíveis para outros usuários. Com o auxilio de um algoritmo apelidado de SubRank, a base de dados determina automaticamente a melhor legenda dentre as disponíveis para um determinado arquivo de vídeo simplificando assim o download. Não é possível fazer busca por nome e você deve utilizar um cliente para ter acesso a base.

Update 1

Já está disponível a versão 0.6 do Subtitle Master. Para quem já utilizava a versão 0.5, a atualização será feita automaticamente.


Um mês de Netflix Brasil

Depois de experimentar o serviço de streaming de vídeo do Netflix por um mês, resolvi compartilhar aqui minha opinião sobre o produto.

Netflix Brasil

Pela modesta quantia de R$14,99 por mês, a Netflix permite que você assista uma grande quantidade de filmes e séries diretamente em seu computador aonde quer que você esteja. Seria perfeito, mas o acervo de filmes possui pouquíssimos lançamentos (para não dizer nenhum.) Filmes de 2011* ? Esqueça, melhor procurar na locadora perto da sua casa.

Com as séries a coisa não é muito diferente. Além das poucas famosas, incluindo algumas excelentes preciso dizer, existem também algumas mexicanas como Maria do Bairro. As temporadas disponíveis são normalmente do ano anterior como já era de se esperar, mas o pior ainda está por vir.

Comecei assistindo a sexta e sétima temporada de Top Gear UK, motivo este alias que me fez querer experimentar o serviço em primeiro lugar. Tudo perfeito, mas a partir da oitava temporada, o áudio é dublado em espanhol, sem opção de voltar ao idioma original e isso sem mencionar legendas com traduções fora de contexto, como Libra Esterlina sendo traduzidos como Libra (massa). A pessoa que traduziu nem a frase leu, caso contrário não sairiam pérolas como: “O carro pesa 35.000 libras”.

Fora isto, vi vários episódios de outras séries com legendas faltantes ou fora de sincronia. Passeando pelos títulos disponíveis, e observando o comentários dos usuários, a maioria é reclamando destes dois fatores: falta de áudio original e legendas com problemas.

O Netflix ainda é muito jovem no Brasil e tem muito o que amadurecer, mas, até lá, eu cancelei o meu. Como o eles oferecem o primeiro mês grátis, recomendo que você experimente o serviço e tire suas próprias conclusões mas pelo menos você já terá uma ideia do que esperar.


GVTTV Planos e preços divulgados

Desde o ano passado quando a GVT anunciou que entraria no mercado de TV por assinatura, aguardo ansioso a divulgação dos planos e maiores detalhes. Como já utilizo a banda larga da GVT, conheço a qualidade dos serviços e a tendência em inovar da empresa. Segundo a operadora, mais de 40 mil pessoas já realizaram o pré-cadastro no serviço.

GVTTV - Menu de navegação

Diversas notícias e rumores já haviam circulado, dizendo que todos os pacotes de sua TV contariam com canais em HD e isso se confirmou hoje, em uma conferência que está sendo realizada em São Paulo. Ao todo serão até 140 canais, sendo mais de 30 destes em alta-definição.

Os planos divulgados no twitter da operadora hoje são os seguintes:

  • Pacote básico com 41 canais de vídeo, sendo 26 pagos e entre eles 5 em HD por R$59,90;
  • Pacote intermediário com 45 canais pagos, sendo 9 em HD por R$89,90;
  • Pacote Ultimate HD com 72 canais pagos, sendo 14 em HD, por R$129,90.

Além disso, conforme divulgado no site da operadora quem pedir PowerGVT 35Mbps no pacote GVTTV, pagará somente R$99,00 mensais pela internet.

GVTTV - Decodificador e controle remoto

A solução adotada pela GVT é a primeira do Brasil e uma das pioneiras do mundo com modelo híbrido, que possibilita a melhor transmissão de canais de TV com alta qualidade via satélite (DTH) ao mesmo tempo em que viabiliza serviços interativos, integração com a internet, além de conteúdo sob demanda usando a rede IP. Para o presidente da GVT “o mundo está evoluindo para a combinação das tecnologias IP e DTH e estamos sendo pioneiros no Brasil na solução que vai proporcionar uma experiência única ao cliente de TV por assinatura”. Fonte: Press Release GVTTV

Update 1

Serviços interativos como Twitter, Facebook, Previsão do tempo, YouTube e Video on Demand estarão disponíveis em todos os pacotes da empresa que também contarão com acesso aos canais abertos. A interface será intuitiva e em alta-definição.

GVTTV - Video On Demand

Quanto aos decodificadores, segundo o Tecnoblog serão dois modelos, sendo que a única diferença entre eles é a presença do DVR/PVR.

Update 2

Press release da GVTTV divulgado na página de imprensa do site da operadora.

Update 3

Confira a grade de canais por pacote dos planos da GVTTV:

Super HD

Discovery Kids, Cartoon Network, Disney Channel, Disney Júnior, SporTV, SporTV2, Discovery Channel, History Channel, National Geographic, Futura, Globosat HD, Multishow HD, Viva, GNT, Multishow, E!, Discovery Home & Health, Bem Simples, VH1, Glitz, Concert Channel, Universal Channel, Warner HD, Sony HD, A&E, FOX, TNT HD, Globo News, Record News, e OFF HD.

Ultra HD

Disney XD, Nickelodeon, Nick Jr, Boomerang, ESPN, Animal Planet, Discovery Travel & Living, Fox Life, Fox/NatGeo HD, VH1 Mega Gits, AXN HD, FX, Liv, Space HD, Cinemax, Canal Brasil, Megapix HD, Bloomberg, e BBC World News.

Ultimate HD

Tooncast, ESPN Brasil, ESPN HD, Band Sports, Esporte Interativo, Discovery Turbo, Speed, Discovery Science, Biography Channel, Discovery HD Theather, NatGeo Wild HD, truTV, TLC HD, VH1 HD, Sony Spin, TCM, MGM, Studio Universal, Band News, CNN International, NHK, SIC Internacional, Canal de las Estrellas, RAI, TV5 Monde, KBS World, DW-TV e TBS HD.

GVTTV - Menu "Canais de TV"

Canais/pacotes avulso

  • Telecine Premium HD, Telecine Pipoca HD, Telecine Action HD, Telecine Fun, Telecine Touch HD, e Telecine Cult;
  • HBO HD, HBO, HBO 2, HBO Plus, Max HD, Max, Max Prime, HBO Family, HBO Plus 2, e HBO Family 2;
  • ESPN, ESPN Brasil, ESPN HD, Band Sports, Esporte Interativo, e Discovery Turbo;
  • NHK, SIC Internacional, Canal de las Estrellas, RAI, TV5 Monde, KBS World, e DW-TV.
  • Premiere FC, Combate, e Sexy Hot.

Canais em alta-definição estão em negrito.

Update 4

Já está disponível a opção Assinar TV por Assinatura no menu de auto-atendimento telefônico da GVT, o 103 25.

Update 5

Mais dois canais entram no mundo da alta-definição, o Telecine Touch e o Telecine Fun.

Update 6

Todos os planos ganham um novo canal em alta-definição, o OFF HD da família Multishow, focado no segmento de aventura, viagens e adrenalina, voltado para o público jovem.

Update 7

Os clientes do pacote Ultimate HD ganham um novo canal em alta-definição, o TBS HD do grupo Time Warner, dedicado a comédia, filmes, e séries para a família , sendo o primeiro no país com estas características.


5 séries para assistir na sua Netflix Brasil

Que a Netflix chegou ao Brasil você já sabe, mas se não sabe ainda, a Wikipedia explica:

A Netflix é uma empresa norte-americana que entrega filmes pelo correio. A empresa foi criada em 1997. O seu porta-voz se chama Steve Swasey. O sistema de entrega funciona quando o cliente pede um filme pela internet, recebem os filmes em casa no máximo em 1 dia e podem ficar o tempo que quiserem, mas para pedir outros filmes tem que devolver o anterior. Também há a possibilidade de assistir aos filmes através da Internet, com o sistema de Streaming, disponibilizado para parte do acervo da companhia, hoje (julho 2010) contando com aproximadamente 17 mil títulos ‘online’. Fonte: Artigo sobre a Netflix na Wikipédia

No Brasil, a Netflix está operando atualmente apenas com o modelo de online streaming, que permite com que você possa assistir a todos os filmes e séries disponibilizados, quando quiser, onde quiser, quantas vezes quiser e por apenas R$14,90 mensais, sendo o primeiro mês é grátis para você testar o serviço.

Cinco motivos para testar o Netflix

Damages

Damages

Série de ficção jurídica da televisão estadunidense criada e produzida por Daniel Zelman, Glenn Kessler e Todd A. Kessler.

A série narra o drama vivido pela bem-sucedida advogada Patty Hewes (Glenn Close) e sua associada Ellen Parsons (Rose Byrne) na firma de advocacia Hewes & Associates, localizada na cidade de Nova York. A primeira temporada (2007) exibe a Hewes & Associates investigando o golpe que o multi-milionário Arthur Frobisher (Ted Danson) aplicou em seus investidores. A trama mais recorrente da temporada, porém, é a tentativa de assassinato sofrida por Ellen Parsons 6 meses após sua entrada na firma. Fonte: Artigo sobre Damages na Wikipédia

United States of Tara

United States of Tara

É uma dramédia (drama/comédia) criada por Diablo Cody e estrelando Toni Collette.

Tara é uma esposa e mãe com transtorno dissociativo identidade (DID). Depois de decidir fazer uma pausa a parar de tomar sua medicação para descobrir a real causa da sua doença, suas outras personalidades voltam: A selvagem adolescente T; A dona de casa Alice; E o veterano do Vietnã Buck. Tara é apoiada por seu calmo e sangue-frio marido Max, a pouco perturbada filha adolescente Kate e o peculiar e bondoso filho Marshall. Sua irmã, Charmaine, não é tão favorável, muitas vezes expressando suas dúvidas sobre de Tara. A série é filmada em Overland Park, Kansas. Fonte: Artigo sobre United States of Tara na Wikipédia

Mad Men

Mad men

Mad Men é criada por Matthew Weiner, exibida pela AMC e produzida pela Lionsgate Television.

Mad Men se passa nos anos 1960, inicialmente na agência publicitária ficcional Sterling Cooper, localizada na Madison Avenue em Nova York, e mais tarde na recém criada firma Sterling Cooper Draper Pryce. O protagonista da série é Donald Draper (Jon Hamm), diretor de criação na Sterling Cooper e parceiro fundador da Sterling Cooper Draper Pryce. Em torno dele aparecem os demais sócios e funcionários da agência, bem como sua família. Através das relações pessoais e profissionais de Draper, a série mostra as mudanças morais e sociais dos Estados Unidos na década de 1960. Fonte: Artigo sobre Mad men na Wikipédia

Californication

Californication

Estreou em 2007 pelo canal Showtime e tem o ator David Duchovny (o Fox Mulder, de Arquivo X) como o protagonista Hank.

Californication conta a história de um escritor com apenas um livro de sucesso e em crise de inspiração. A fala arrastada e com boca fechada de David Duchovny encaixou-se perfeitamente no personagem principal, ambivalente, talentoso e instável, o qual trafega em uma sinuosa jornada de álcool, vícios e mulheres, mas que almeja, ao mesmo tempo e sobretudo, restabelecer a antiga relação amorosa com sua ex-companheira, com a qual tem uma filha pré-adolescente. Fonte: Artigo sobre Californication na Wikipédia

Taken

Taken

Minissérie de ficção-científica que foi ao ar originalmente nos EUA pelo Sci Fi Channel em 2002 e ganhou um prêmio Emmy de melhor minissérie. Com Dakota Fanning, Matt Frewer e Emily Bergl. Produção executiva de Steven Spielberg.

Taken é uma história que cruza o tempo, abrangendo 5 décadas e 4 gerações, tendo como centro três famílias: os Keys, os Crawfords, e os Clarkes. O veterano da Segunda Guerra Mundial Russell Keys é atormentado por pesadelos de sua abdução por extraterrestres durante a guerra; o incidente Roswell transforma Owen Crawford de um ambicioso capitão da força aérea para um conspirador secreto e sem escrúpulos do governo; Sally Clarke, infeliz no casamento, é engravidada por um visitante alien. À medida que passam as décadas, os herdeiros de cada um são afetados pelas maquinações dos alienígenas, culminando com o nascimento de Allie Keys, que é o produto final da “experiência” alienígena e carrega as chaves para o futuro. Fonte: Artigo sobre Taken na Wikipédia


Por que roubar um doce?

Esta foi a pergunta que o desenvolvedor de jogos Cliff Harris perguntou aos internautas. Seus jogos custavam em média US$20 dólares e eram constantemente pirateados. Das milhares de respostas que recebeu, Harris percebeu que em geral, as pessoas consideravam que os jogos não valiam o preço que custavam (mesmo a 20 dólares), e que qualquer impecilho entre a vontade de jogar e o jogo, ou seja, que dificultavam o processo de compra, obtenção ou instalação do jogo como DRM faziam com que os usuários pegassem a via rápida, ou seja, escolhessem a ilegalidade.

Ironicamente, uma das coisas que reduz o entusiasmo de realmente se empenhar em fazer jogos é que milhares de ingratos irão piratear seu jogo no primeiro dia por nada.
Cliff Harris

Como resultado dos feedbacks, Harris diminuiu o preço pela metade, removeu a proteção contra cópia e alterou sua loja online para tornar o processo de compra o mais simples possível além de se dedicar mais ao jogo e tentar fazer um produto cada vez melhor.

More info at: Talking to pirates

Os motivos utilizados pelos usuários não param por ai. Pessoas que fazem download de séries de televisão dizem que o principal motivo de o fazerem é não ter esperar meses para ver a próxima temporada. Em alguns casos a espera chega a ser de um ano.

A facilidade de acompanhar é outro, séries baixadas na internet são marcadas com número da temporada e episódio, informação dificil de ser obtida na televisão, pelo menos no Brasil, mas que permite com que o fã tenha uma referência melhor do que já assistiu ou não.

Por fim temos também a qualidade. Televisões de alta-definição estão ganhando popularidade no Brasil, mas a oferta de conteúdos nesse formato ainda é muito pequena e os valores de operadoras de TV a cabo que fornecem o serviço (R$179,90 o pacote mais em conta da Sky HDTV) estão fora da realidade da grande maioria da população.


Pirataria em números

Tornou-se uma prática muito comum na sociedade ao longo do tempo a violação do direito autoral. Também conhecida como pirataria, ganhou popularidade no fim da década de 90, quando as redes de Peer-to-peer começaram a ganhar mercado com a criação de aplicativos como Napster e Kazaa que simplificavam o uso da tecnologia e permitiam que o usuário comum partilhasse seus arquivos de uma maneira simples e eficiente.

Músicas foram o primeiro tipo de conteúdo amplamente compartilhado em redes de Peer-to-peer. Impulsionados pelos altos valores cobrados por CDs, pessoas, em geral jovens, viram na tecnologia uma maneira de obter o conteúdo desejado sem sair de casa, com uma maior flexibilidade (fazendo download apenas das músicas que queria ouvir) e a um custo muito menor: de graça.

A moda tornou-se tão popular, que a RIAA (Record Industry Association in America) estima que em comparação a 1999, a venda de músicas nos Estados Unidos da América caiu 47%, o que representa um prejuízo de aproximadamente 6 bilhões de dólares anuais. Estima-se também que de 2004 a 2009 foram feitos downloads de aproximadamente 30 bilhões de músicas ilegalmente através das redes de Peer-to-peer.

Atualmente, não são apenas músicas obtivas de maneira ilegal, mas também filmes, séries, aplicativos, jogos e livros.

Se pode ser visto ou ouvido, pode ser pirateado.
Autor desconhecido

Software

Os números relacionados a violação dos direitos autorais na cena musical já são bastante impressionantes, mas a pirataria de software não fica para trás. De acordo com a BSA (Bussiness Software Alliance), em 2010 apenas 22% do software consumido pela china foi obtido legalmente. Nos Estados Unidos, este número chega a 80%, mas a pirataria ainda consome uma boa fatia do mercado. É comum encontrar pelas ruas da china cópias ilegais de softwares sendo vendidas a dois ou três dólares, uma fração de seu valor original.

Não estou dizendo que todas as pessoas na China tem condições de comprar um computador, mas se possui, deve arcar os custos de software.
Steve Ballmer, Presidente da Microsoft

Ainda que os softwares mais pirateados sejam sistemas operacionais e suites comerciais de alto valor, como por exemplo o Microsoft Windows 7 (R$329 a versão mais simples, e R$699 a versão Ultimate), Microsoft Office 2010 (R$1399 a versão com o Publisher) ou o Adobe Photoshop (R$1577 a ultima versão), softwares de baixo valor também são alvos da ilegalidade. Softwares de US$0,99 para dispositivos móveis são distribuidos livremente.

De acordo com a Pinch Media, existem aproximadamente 4 milhões de iPhones jailbroken (procedimento que permite que aplicativos não oficiais sejam instalados) no mundo e destes, aproximadamente 38% possuem pelo menos um aplicativo ilegal. Trata-se de aplicativos cujo o valor variam entre US$0,99 e US$9,99.


APIs gratuitas para uso em aplicações multimídia

Já fazem mais de dois anos que não escrevo nada por aqui, mas hoje, resolvi tirar a poeira falando sobre um assunto que gosto muito: Aplicações multimídia; com ênfase em Media Centers.

APIs

API, de Application Programming Interface (ou Interface de Programação de Aplicativos) é um conjunto de rotinas e padrões estabelecidos por um software para a utilização das suas funcionalidades por programas aplicativos que não querem envolver-se em detalhes da implementação do software, mas apenas usar seus serviços. Fonte: Wikipédia

Existem APIs disponíveis para muitas coisas, que vão de Twitter à Google Maps, e elas são uma parte muito importante de um Media Center. O software em si não possui nenhuma informação sobre os arquivos de áudio e vídeo do usuário exceto as que o próprio arquivo provê, mas através de webservices é possível obter uma infinidade de informações que vão desde a capa e informações sobre o elenco de um filme até descobrir o nome de uma música baseada em seu fingerprint.

Muitos destes webservices são abertos, opensource e/ou gratuitos. Alguns deles necessitam de um pré-cadastro para se obter uma chave de acesso a API. Outros porém não demandam de nenhum tipo de autenticação. A maioria destes webservices utiliza puramente o protocolo HTTP ou alguma extensão ou adaptação do mesmo. Por ser de fácil implementação e muito robusto e conhecido, este protocolo acaba sendo uma opção muito melhor do que fazer uma nova implementação.

Abaixo você encontra alguns dos principais webservices utilizados por softwares de Media Centers:


Liberdade na TV

Pessoas falando sobre o Big Brother Brasil é o que não falta. Televisão, revistas, blogs, sites de notícias e portais de conteúdo sem falar das pessoas que estão a nossa volta. Esse é o tipo de programação de qualidade, assistido por diversas famílias de todas as regiões do país incluindo crianças de todas as idades que nossas emissoras de televisão transmitem em horário nobre com o maior orgulho.

Agora, o projeto de lei N° 29/2007 pretende impor cotas de até 50% de conteúdo nacional nos canais de TV por assinatura, mesmo nos internacionais. Quem sofre? O povo! Pois é a parcela do povo brasileiro que paga caro para se livrar de programas como BBB e assistir a conteúdo de qualidade e dar uma educação melhor a seus filhos, baseada em Discovery Channel e National Geographic e Animal Planet ao invés de putaria, bebedeira, testes de dna e novelas mexicanas.

É o governo brasileiro lutando para manter seu povo ignorante, utilizando uma estratégia parecida com a do Pão e Circo usada pelo Império Romano para distrair o povo do que realmente acontecia com o governo escondendo então a corrupção e a roubalheira que assola nossas vidas.